Os médicos decidiram, em assembléia extraordinária, na última quarta-feira (25), no Simed-TO, a cumprir as escalas de trabalho sem plantões extras. A medida começa a ser implantada a partir do dia 1° de março, para obedecer às escalas de serviço já em vigor.

A assembléia tinha como pauta o posicionamento dos médicos quanto à perda de direitos adquiridos na indenização dos trabalhos extraordinários (horas extras em plantões e produtividade) e o atraso no pagamento dos plantões extras.

Os médicos entendem que a gestão estadual está descumprindo a lei 1448/2004 e suas atualizações até 2013 que fixam o pagamento de plantões extras como indenização e não como remuneração, como a Secretaria da Saúde (Sesau) tem divulgado. Para os médicos, o governo estadual não pode “rasgar o direito dos servidores” assegurados em lei.

Por unanimidade, os médicos também aprovaram a divulgação das escalas reais de atendimento nos hospitais para que a população tome conhecimento dos recursos humanos disponíveis nos hospitais.

Outra decisão, tomada por unanimidade, é que os médicos só realizarão procedimentos eletivos que estiverem dentro da carga horária regular. Com isto, serão suspensos todos os procedimentos eletivos que necessitarem de horas extras para sua realização.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.