Apesar dos esforços, condições como densidade demográfica, fatores climáticos e biológicos tem provocado aumento e proliferação do mosquito e casos de dengue.

 

Para você, a dengue é uma questão restrita ao setor de Saúde? Se sua resposta é sim, você está enganado. Embora grande parte das pessoas pense assim, a doença envolve, na verdade, uma série de fatores que contribuem para a manutenção do Aedes aegypti no meio ambiente e que tornam sua eliminação praticamente impossível.

 

Nova classificação da Dengue

 

Atualmente a dengue é classificada da seguinte forma: Dengue Clássica, Dengue com Complicação e Febre Hemorrágica da Dengue. Em outubro deste ano, o Ministério da Saúde apresentou no encontro com os Estados a nova classificação de Casos de Dengue: Dengue, Dengue com sinais de alarme e Dengue Grave.

 

A classificação atual possui critérios de diagnóstico muito rígido, o que frequentemente dificultava o manejo do doente. A nova classificação que entrará em vigor em janeiro de 2014 em todo o Brasil quer facilitar a detecção dos casos graves e o manejo adequado do paciente e uniformizar os protocolos de classificação com os demais países.O objetivo é aumentar a sensibilidade dos profissionais de saúde na detecção oportuna de casos de gravidade e padronizar a classificação de casos de dengue de acordo com demais países do mundo.

 

Casos de dengue

 

Em 2012, foram notificados 25.833 casos de dengue, com 39 casos graves confirmados e cinco óbitos. De janeiro a outubro deste ano, foram notificados 19.075 casos, com 20 casos graves e quatro óbitos confirmados.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.