A falta de médicos, de laboratório e de diretor técnico levou CRM-TO a entregar ao Hospital de Referência de Dianópolis indicativo de interdição ética no último dia 30. Se o Estado não buscar solucionar os problemas, em 30 dias, o Hospital sofrerá inevitavelmente interdição ética.

Interdição ética: Pacientes internados serão assistidos até sua alta, urgência e emergência são obrigatório atendimento e se necessário internação, o local passa a ser uma questão administrativa.

Orientação: Médicos foram orientados pelo CRM-TO caso precisem internar seus pacientes, a escrever no prontuário do paciente, diagnostico, prognostico, todos os procedimentos realizados, além de descrever detalhadamente todas as situações de dificuldades ocorridas.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.