Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
O Ministério da Saúde adverte: a DST mais traiçoeira virou epidemia nacional. Fique alerta a Sífilis pode ser curada

Começa com um machucado. Indolor, costuma não ser bonito, mas também não é o fim do mundo. Quando aparece na área genital, fica evidente nos homens, mas pode acabar escondido dentro da vagina sem chamar qualquer atenção. Há ainda outros casos discretos, como na garganta ou no ânus. Aí, quando você está começando a se preocupar, desaparece. Talvez aí você tenha passado para a próxima etapa da doença.

Essa história está se repetindo mais do que o esperado no Brasil. Em outubro de 2016, o Ministério da Saúde reconheceu que a situação estava fugindo do controle e decretou a epidemia. Não é exagero, nossos números são assustadores. Desde 2010, quando os hospitais passaram a ser obrigados a repassar seus dados sobre a doença para o ministério, foram notificados quase 228 mil novos casos; só entre 2014 e 2015 houve um aumento de 32% nos casos de sífilis entre adultos – e mais de 20% em mulheres grávidas. A maior parte dos casos está na região Sudeste (56%), a mais urbanizada e desenvolvida do País.

A sífilis que é uma infecção pode ser curada com um tratamento barato e simples: algumas doses de penicilina. Se a doença for diagnosticada no primeiro ano, a cura se resume a apenas duas injeções de benzetacil, uma em cada glúteo.

Nota Técnica aos Médicos

Em meio à Epidemia de Sífilis que o Estado e o país enfrentam a Gerência Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais do Tocantins em parceria com o CRM-TO faz algumas recomendações aos profissionais de saúde:

- Testar todas as gestantes durante o pré-natal em duas oportunidades, na primeira consulta do pré-natal (idealmente, no primeiro trimestre da gestação) e no inicio do terceiro trimestre, para que haja tempo hábil para iniciar o tratamento da gestante e evitar assim a transmissão vertical da Sífilis;

- Tratar a gestante imediatamente após a positividade do teste rápido e o parceiro sexual com Penicilina Benzatina no esquema para sífilis terciária:

- Penicilina Benzatina 2.400.000UI por semana durante três semanas;

- Recomendar o uso do preservativo durante toda a gestação para evitar a reinfecção da gestante, principalmente quando não for possível tratar o parceiro; A Penicilina Benzatina para tratamento da Sífilis em gestantes e parceiros sexuais foi adquirida pelo ministério da saúde exclusivamente para esse público, e está disponível na assistência farmacêutica Estadual para todos os municípios, basta notificar a gestante e entrar em contato com a Diretoria de Atenção primária Estadual.

Lembrando que a NOTA TÉCNICA COFEN/CTLN Nº 03/2017, reforça a importância da administração da Penicilina Benzatina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS), principalmente para o tratamento da sífilis adquirida e sífilis na gestação.

Para esclarecimentos, favor entrar em contato pelos telefones (63) 3218-1768/4888 ou 0800-645- 0112 (Disque Aids/TO), ou pelos e-mails: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou dst.tocantins@gmail.com

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 -
Avenida Joaquim Teotônio Segurado, Quadra 702 Sul, Conjunto 1 Lote 1 Plano Diretor Sul 77022-306 - Palmas - TO
FONE: (63) 2111 8100 FAX: (63) 2111 8108 e-mail: crmto@portalmedico.org.br